Válvula-de-Cabeçote
Válvula-de-Cabeçote

Válvula de Cabeçote

A válvula é o item responsável pelo controle de entrada e saída de ar e combustível dos cilindros fixados no bloco. Ela garante a integridade do motor, evita explosões em altas temperaturas e dissipa o calor.

Conhecidas também como válvulas de motor, as válvulas de cabeçote são feitas de uma liga de aço carbono e possuem um formato circular em sua base, com uma haste perpendicular no centro. Sua base trabalha em contato direto com o comando de válvulas, peça também conhecida como came ou excêntrico e que, quando gira, empurra e abre a válvula de cabeçote, permitindo assim a entrada das misturas de ar e combustível no bloco do motor.

é importante lembrar que, quando a válvula é empurrada pelo comando, ela desliza dentro de outro componente, conhecido como guia de válvula. A guia, por sua vez, serve para garantir que a movimentação aconteça sem atrito ou fricção e sempre com o mesmo alinhamento. Em seguida, outro componente, chamado de mola de cabeçote, se encarrega de empurrar a válvula novamente para a posição original, vedando a entrada e a saída de qualquer substância das câmaras de combustão.

Em outras palavras, quando o assunto é o funcionamento do cabeçote, praticamente todos os componentes que fazem parte dessa estrutura servem para, de uma forma ou de outra, dar suporte à movimentação da válvula de cabeçote e garantir a alimentação do motor durante o seu funcionamento. Em geral, nos motores de combustão interna, são necessárias duas ou mais válvulas para que o motor funcione com eficiência: a válvula de admissão e a válvula de escape.

Elas são abertas apenas uma vez durante todo o ciclo de combustão e estão sujeitas a uma pressão extrema, movendo-se em grande velocidade. Para se ter uma ideia, em um motor de quatro tempos, cada válvula abre e fecha duas vezes a cada giro do virabrequim. Isso significa que, em um motor de 6.000 rpm (rotações por minuto), as válvulas são acionadas 3 mil vezes por minuto, ou 50 acionamentos por segundo.

Existem duas variações de válvula de cabeçote. Primeiro, a válvula de admissão tem a função de puxar a maior quantidade de ar possível para dentro do motor. Quando essa válvula é aberta, acontece a entrada da mistura ar/combustível. Essa mistura, então, é comprimida por um pistão que está localizado no cilindro do motor. É quando a vela de ignição provoca uma faísca e tudo começa a funcionar.

Depois dessa combustão, contudo, os gases que foram acumulados no cilindro do motor devem ser expelidos antes que a válvula de admissão seja aberta novamente. É quando a válvula de escape entra em ação. De forma sincronizada, quando a válvula de admissão se fecha, a válvula de escape se abre, permitindo que os gases sejam removidos e que o cilindro fique vazio e pronto para o próximo tempo.

[Vídeo] Válvula de cabeçote: dicas de sucesso e falhas comuns