Tucho-de-Válvula
Tucho-de-Válvula

Tucho de Válvula

O tucho de válvula é uma pequena peça que serve para auxiliar a árvore de comando na função de abrir as válvulas de admissão e de escape do motor. Em outras palavras, os tuchos são responsáveis por transmitir o movimento do comando de válvulas para as válvulas do motor, limitar a folga entre o eixo de comando e as válvulas e, consequentemente, permitir a combustão na câmara do pistão.

Para viabilizar a entrada da mistura de ar e combustível no motor e, após a explosão dessa mistura, permitir a saída dos gases queimados, existem as chamadas válvulas de admissão e de escape. Essas válvulas são administradas pelo comando de válvulas e a peça responsável por transmitir esse movimento do comando para as válvulas é, justamente, o tucho.

Ou seja: os tuchos servem para auxiliar o eixo de comando de válvulas no trabalho de controlar e administrar a admissão de combustível e garantir a sincronia desses comandos. Um tucho, então, nada mais é do que uma espécie de peça intermediária que articula com outros componentes.

Existem dois tipos de tucho de válvula: Mecânico e hidráulico. Na prática, eles possuem a mesma função. A diferença é que o tucho mecânico é uma peça única (com exceção para casos específicos, como modelo roletado ou com regulagem por pastilha), enquanto o hidráulico é um conjunto de componentes com ajuste funcional feito pelo sistema de lubrificação do motor.

Outro ponto é que o tucho mecânico é totalmente sólido, quer dizer, com todo o seu corpo rígido. É por isso que, quando se utiliza tucho mecânico em um motor, é necessário que haja uma folga entre ele e o comando, pois o calor do motor faz com que a peça dilate. O tucho hidráulico, por sua vez, é completamente oco, formando internamente uma espécie de cilindro com um êmbolo na ponta. Esse êmbolo, que lembra um pouco a ponta de uma caneta esferográfica, é mantido para fora do tucho de válvula pela força de uma mola. O tucho hidráulico é completamente preenchido com o óleo lubrificante do próprio motor, que entra na peça através de orifícios que se encontram nas suas laterais. Isso quer dizer que aquela folga entre o comando e o tucho, fundamental nos tuchos mecânicos, não é necessária nos hidráulicos.

Funciona assim: quando o comando não está forçando o balancim da válvula, os orifícios ficam abertos e prontos para receber o óleo do motor. Quando o comando força a abertura da válvula, os orifícios do tucho se fecham, prendendo o óleo no interior da peça. Isso quer dizer que, com o deslocamento de óleo provocado pelo funcionamento do comando, há uma constante troca do óleo que está no interior do tucho, eliminando qualquer bolha de ar que esteja presente e permitindo a troca de calor entre os componentes do motor, mantendo o arrefecimento dos tuchos.

[Vídeo] Entenda a função do tucho de válvula no motor do carro